Nascido em São Paulo, Oscar Nestarez é escritor, tradutor e pesquisador

da ficção literária de horror.

 

No campo acadêmico, tem mestrado em Literatura e Crítica Literária

pela PUC-SP, e atualmente cursa doutorado em Estudos Comparados

de Literaturas de Língua Portuguesa pela FFLCH-USP.

Como ficcionista, publicou a coletânea Horror adentro (Kazuá, 2016)

e o romance Bile negra (Pyro, 2018) - que recebeu o prêmio de melhor

narrativa longa de horror da Associação Brasileira de Escritores

de Romance Policial, Suspense e Terror (ABERST) -, além de contos

em inúmeras antologias.

Como tradudor, já verteu importantes obras para o português, como 

O retrato de Dorian Gray e De Profundis, de Oscar Wilde (Novo Século), 

O Castelo de Otranto, de Horace Walpole (Novo Século), e os romances

A Casa no Fim de Tudo, de William Hope Hodgson (Escotilha),

e Arsène Lupin contra Herlock Sholmès, de Maurice Leblanc (Novo Século).

Também é colunista da revista Galileu, para a qual escreve mensalmente sobre literatura de horror.